As pessoas me perguntam como eu faço para não me importar? Tocar um verdadeiro tô nem aí para você cara! Você não está afim eu também não estou!

Bem vou contar para todas vocês como eu entrei nessa vibe, de não me importar nem se caso o cara me ignorar no 12.

Eu sou uma mulher que eu faço, eu sou louca, deu vontade eu vou lá é boto a coisa para funcionar. Sempre fui assim! Desde pequena eu sempre fui quase o menino que meus pais sempre quiseram ter. Mas eu vim no corpo de mulher. Mas instinto feroz e racional de homem.

Nunca fui de levar desaforo, com 18 anos sai da casa dos meus, porque não queria ser controlada. Fui encarar o mundão, e descobri que ali estavam certas lições que jamais iria esquecer, e claro levar para sempre na minha vida.

Tenho a meiguice e os sentimentos natos de muitas mulheres, mas eu sou racional, eu não gosto da coisa da insistência. Eu antes falava gente, eu berrava para ser aprovada, queria provar para o ser homem que eu valia a pena. Tipo: invista em mim miserável, eu sou boa, eu sou legal, você não vai arrepender-se.

Ferrou com tudo! Eu até era uma pessoa dinâmica, mas eu era insistente. Essa minha teimosia exagerada, me fez cair em várias contradições. E digo isso por quê? Ah, a inocente aqui achava que se o cara não me quisesse, eu ia ter que provar para o dito cujo que eu era o suficiente e a melhor. Eu me considerava, mas é o cara?

Ferrou de novo!

Como eu sempre digo aqui para todas, eu era um bicho tinhoso de teimoso igual vocês, quando eu ouvia alguém dizer que o cara não estava afim, queria arrumar desculpas para ele, eu queria ter alegação e argumentos para não dar fé no que as pessoas diziam-me. Estava certa, eu iria provar para todo mundo que aquela regra não valia na minha vida.

Agora o negócio f.

A vida amansa e também bate. E eu toda cheia de si, como você está agora, achando que deveria fazer mega ações para envolver esse traste, e se iludindo na ideia que se eu não tentasse morreria arrependida. E para ajudar a tonta aqui tinha o maldito pensamento para atrapalhar do tipo: ele viveu comigo todo esse tempo, eu fui uma pessoa importante na vida deste homem, ele não pode ter me esquecido assim. 

Agora ficou pior que a merda, virou um penico cheio!

Eu estava querendo acreditar na minha verdade, e para afundar na minha própria ignorância, eu queria adivinhar e ter certeza de uma atitude que não dependia da Sara aqui. Era do outro, do homem que eu tinha deixado entrar na minha vida.

O resultado vocês já sabem, e se porventura não compreendem e não aceitam ainda, vou te contar: toda hora você irá levar pancada. A vida vai te bater de um jeito que você não vai ter saída a não ser enxergar. Você vai gritar: não é verdade, não estou vendo, não é assim, não quero ver, não quero sentir. E ela vai te apertar e te espremer até a última gota da sua dignidade se esvair pelo ralo até que você cansada de tanto levar paulada, de ser rejeitada vai dizer bem alto: não aguento mais passar por isso, chega, entendi doí ver, mas não tem mais jeito, eu estava errada.

Partindo dessa lição, comecei a criar uma nova ideia sobre os relacionamentos, e também a ver os homens de outro ângulo. Homens são mais duros e diretos que a gente. Mas eles não falam o que realmente querem como nós que falamos até pelos cotovelos. E passei a observar a atitudes dos mesmos.

E nas atitudes que pesco como o cara tem interesse, é pelo movimento dos olhos que acompanho se o cara está na minha, ou me trata como uma pessoa normal, sem motivações para algo mais firme.

O grande lance foi conseguir superar o não que alguém nos dá. Sinto muito em dizer, mas a maioria de nós seres humanos tanto homem quanto mulheres detestam ouvir um sonoro não, porque o não  no caso das mulheres a despe do seu ego, de querer ser cuidada e protegida. Você sente menos, acuada e desvalorizada.

A sua importância e quebrada, e você confere no papel de mostrar ao outro seu valor. Pronto. Veio o estopim que demarcou toda a minha libertação.

Um dia desses eu estava interessada em um rapaz, ele me flertava e dava toda demonstração de interesse, eu também estava lá, na mesma vibe que ele, sendo recíproca ao que ele me mostrava ( perceberam a atitude dele). Eu já estava cansada daquela coisa, e já agi (eu ajo, eu não fico parada), e dei meu cartão para quem sabe assim ele me ligar.

Até hoje não recebi a ligação do mesmo, e acredite vou até o trabalho dele e continuo fazendo minhas coisas e agindo normalmente mesmo depois de todo desinteresse dele.

Não pergunto, não o questionei, não fiz mais nada. Estou na minha, e sinceramente digo pouco importa o motivo dele não ter me ligado. Motivações tiveram, mas eu não sou ele para tentar adivinhar o que fez ele não me ligar.

O que quero trazer a todas vocês e justamente isso: o grave erro da maioria e justamente querer ou tentar descobrir as ações do homem, porque ele está fazendo ou porque ele não está fazendo.

Vocês entram demais na vida do outro, para descobrir, e é justamente neste ponto que vocês se perdem de si mesma.

Mulheres precisam desde já a ter consciência que se a atitude falta, ou se ele é vista coloquem na balança o que te faz bem ou te faz mal.

No meu caso o que me faria bem? Eu querer saber por que ele não me retornou, e ficar me desgastando nesta dúvida? Ou simplesmente entender que a posição final do outro não me diz respeito, porque a decisão é unicamente dele?

Só para deixar bem aberto isso: vocês preferem sempre se desgastar e dar importância para alguém porque querem a todo custo fazer o outro repensar sua decisão, ou para ser mais conclusiva: vocês querem abafar e sustentar seu ego que acredita ser boa o suficiente para esse ser.

Nos comentários que leio aqui, a maioria se engana dos sentimentos, a grande sacada de muitas e reavivarem seu ego que está murcho igual alface depois que se coloca na geladeira.

Você não precisa do cara, já te digo agora. Você precisa que ele reacenda sua chama que está apagada. E que ficou sem brilho depois que ele te disse não.

A volta com esse ser, não existe sentimentos atrelados, existe só você tentando salvar seu ego que está minado, e para que ele ressurja, porque não fazer esse homem ter um conceito que você é o bastante na vida dele?

Vocês querem provar e sua provação é a insistência e não aceitar o fim, ou a rejeição momentânea do cara.

Eu sei que muitas não irão dar crédito no que estou dizendo agora, porque é uma explanação bem mais sucinta e peculiar, mas eu só consegui analisar e não mais me abater por nenhuma falta de atitude do homem porque me desprendi de tal da ideia de sustentação do meu ego.

Não quero provar nada, não vou ser boa o suficiente para muita gente. O que basta é unicamente o que acredito ser, do meu valor, e das minhas concepções de vida.

A sua negação é seu ego te dizendo: você não pode deixar isso assim, você é uma mulher que fez tudo por ele, que se entregou, e porque ele não te vê assim?

Se pergunte: quando você tem o seu querer quebrado, qual é a sua intenção? Aceitar que o outro tem seu poder de decisão ou é ignorar isso é tentar mostrar que o seu querer é melhor que a afirmação do outro?

Você está fazendo toda essa argumentação é porque você gosta do cara e quer ele do seu lado ou é para que o cara reconheça que você é a melhor que já existiu na vida dele?

Mas, tem uma pontuação que quero fazer agora diante dessas duas questões expostas acima:

 – Se você tem sentimentos mesmo você respeita a decisão do outro, e apenas acredita que se você é uma mulher que trouxe coisas boas na vida do mocinho, existira o tempo para fazer esse homem repensar sem nenhuma pressão tudo que você representou na vida dele.

 – Caso fique com a segunda opção: é porque você quer apenas saciar seu ego (seu eu interno), e está motivado apenas naquilo que você acredita e quer para você e não exatamente para o outro.

A mesma coisa é quando o cara termina e depois fica te enrolando e te cozinhando sem tomar nenhum posicionamento: ele está ali porque sabe que do outro lado existe um sentimento seu e que isso é afável para favorecer seu ego que porventura pode estar vazio. E você é só essa pressão para fazê-lo inflar e sumir novamente de suas vistas.

Esses dias um mocinho bem apresentável por sinal, fardado (fiquei até com calor, kkk), me seguiu por uma avenida, eu pilotando e ele de carro. Totalmente interessado, parou em uma rotatória e pediu meu watts, infelizmente a peste tinha uma aliança no dedo anelar esquerdo, que me fez virar um iceberg em questões de segundos. Já despachei e falei em alto e bom som: homem casado tô fora! Duas semanas depois de novo ele deve ter marcado a minha placa, me seguiu e quando o vi falei: você de novo aqui peste? E ele com a mesma síndrome da insistência e de não aceitar o meu não. Vamos me dê seu número, não tem problema algum, vai me dizer que tu é ciumenta? Eu não vi o momento que simplesmente coloquei meu dedo em riste (vocês já sabem qual dedo é) e disse: pois é meu caro você deve estar acostumado a fazer isso direto, porém comigo não vai rolar. Mas a tentativa é sua, vai que cola com as outras não é mesmo?

Perceberam que o não é algo difícil de aceitar, mesmo quando você não tem envolvimento algum com a pessoa? 

Vou levar não, vou dar diversos não. E isso não tem nada a ver em ser difícil e sim que nós temos poder de escolha, como esse cara que você está tentando mostrar para ele que é a the best. Para ele pouco importa se você é excepcional, sensacional e gostosa como tu pensa, para ele apenas vale o que ele decidiu. Ele pode até reconhecer suas qualidades e predicados, porém você não se encaixa mais nos atributos de mulher que ele quer do lado.

Eh donas, ele não te quer mais, é isso não tem nada a ver com sentimentos. Ele só está trilhando caminhos diferentes dos que você tanto planejou.

Ele não te amou ou não teve sentimentos por você antes? Pode ser que ele te achava a mulher maravilha, que até pensou que você seria a ideal. Mas aí vieram os momentos, as brigas, os desentendimentos, as incompatibilidades normais de qualquer relacionamento. E ele ponderou: do jeito que está não dá, isso não quero para minha vida. Vou pular do barco, vou nadar em outras águas.

E lá se vai o peixinho embora, conhecer novas pessoas, estudar e avaliar se a outra vai se encaixar em seus padrões. E o ciclo recomeça. 

No final meninas é só você lutando para favorecer a si mesma, e nisso não se tem ganhadores. Porque só você sozinha não movimenta nada precisa do outro dando remadas juntos contigo quando se trata de relacionamentos.

Caia na água e nade até margem, estará cansada, porém não mais remando por dois. Esse é o aprendizado que a vida quer te dar: não precisa do outro para te mostrar a luz que tu és, não precisa do outro para que você se sinta plena e única, não precisa do outro para que você se reconheça boa o bastante, e acredite no seu valor e potencial.

Não precisa de ninguém só de Você!

Sara Oliver