Ficamos perdidas quando o outro nos deixa sem avisar.

Resta apenas para nós mulheres, chorarem, arrumarem um jeito de sair da tristeza, do sofrimento. A gente pede conselho para amiga, para todo mundo, tenta de alguma forma certa ou errada, sair do buraco que estamos. Mas diante de qualquer sofrimento e do término existente poucas, eu disse poucas conseguem enxergar a realidade nítida na frente.

O problema nosso, eu digo nosso porque já passei por isso também. Foram meses lutando contra tudo, deixando as queixas de lado, tentando ser direta e focando no problema. Por um tempo estagnamos, paramos a nossa vida para tentar entender o motivo que fez com que o outro nos deixou. Culpamos-nos, nos sentimos vitimas das circunstâncias. E abdicamos de nossa própria vida para entender o outro, porque ele foi embora.

Não basta o sofrimento em si, a rejeição, lutamos contra o fim.

Tudo se torna mais pesado, doloroso, quando insistimos em nos apegar naquilo ou em qualquer sobra que não altera nada, que não contribui em nada para sairmos do processo de separação.

Não adianta eu dizer: pode acreditar, pode confiar, pode esperar esse cara porque ele te ama, e ele vai cair em si e voltar para você.

Estaria mentindo, ocultando um fato que está estampado e claro para todo mundo ver.

Apenas você tenta acreditar. Quem disse que é fácil aceitar que o outro não nos valorizou que ele se importa mais com o próprio umbigo do que com o relacionamento, com anos de convivência que tiveram.

De que adianta os filhos, anos de namoro, casamento, se a insensatez do moço não respeitou nada.

Ando pelo mundo ouvindo as dores de muitas mulheres, alguns anos, eu estava lá também.

Ouço-as buscando se reconciliar com os próprios sentimentos, que estão embriagados de dores e traumas.

Vejo-as vivendo um dia com o sorriso no rosto e no outro, tentando se livrar das migalhas que esses seres insensíveis acham que são o suficiente.

Não tem regra, não tem tópico, não tem livro de autoajuda que resolva, não tem solução o bastante forte e coerente que faça você sair, se você não parar de se iludir.

Está aplicado a várias mulheres, que até se tornam incrédulas de tantas dores, e humilhações. Que reconhecem no cara que as deixou a única salvação para sua vida sofrida.

Se ele não voltar não tem sentido. Muitas continuam o processo de perda por meses, anos, e porque não se enganando, se iludindo. O cara já foi, curtiu, vive, tem outra, volta quando quer, fala quando pode. Tudo ele é o centro das atenções da sua vida. Você parou por ele.

Você vive, mas é só uma mensagem, é só um oi morno que tudo cai e desmorona.

Se você passou 2 semanas sem contato, você está se melhorando aos poucos. Mas ele aparece.

Parece que ele sente seu ânimo voltando, sua vontade de viver se fazendo presente. Começa todo o processo de dúvidas novamente.

O seu estado de espírito, está lá, leve igual uma pluma, ele emite o que você sente por dentro.

E como um processo de obsessão você não sai.

Você ouve, lê uma palavra de conforto, mas logo pela amanhã você acredita nas fantasias. Você vislumbra coisas onde não tem, onde se quer existem. Tudo para tentar afagar seu ego, que nessas horas está doente e cansado.

Você vive nos vestígios, nos rastros do que ele faz. Você respira as migalhas, se nutre do pouco que ele te deixou.

Você sabe onde ele esteve, o que fez, com quem esteve, busca na família e amigos saber da vida dele. Isso para quê? Para tentar sobreviver, diante da distância, diante do fato que ele não se importa mais com você. Você está tentando se salvar procurando alternativas desesperadas.

Tudo é motivo para aflorar em você uma chama de esperança, de credulidade, de motivos que mostrem que ele talvez tenha sentimentos por sua pessoa. Você tenta acreditar, mas isso um dia irá ficar claro. Você verá o óbvio.

Não se engane, e eu não quero que você continue nesse processo de boicote. Onde prefere não enxergar a realidade.

Não dê mais desculpas, não procure por respostas que estão presentes a muito tempo.

Esqueça, eu disse esqueçam que o cara volta enquanto esse processo de perda não ser refeito. Quanto mais você se nega, procura desviar seus olhos do real, mas o processo se tornará doloroso.

Você me disse que hoje está bem, ontem ele foi para balada, postou foto da felicidade dele estampado no Facebook. Isso te chateou, mas passa.

Até quando qualquer coisa mínima que ele faça irá te deixar chateada, magoada?

Sinto as dores de cada uma, como se fossem minhas.

E isso não é demagogia.

Mas elas cessam. Um dia elas cessam. Ela só precisa que você pare de achar que regras, listas de apoio moral, etiquetas de comportamento e tudo mais que vocês consideram importantes na sua vida depois do término seja o seu ponto de equilíbrio e te influenciem a criar esperanças e enxergar sentimentos onde não existem nem respeito. Você precisa abrir seus olhos, encarar a realidade de frente. Não adianta ficar mascarando, tentando persuadir a você mesma para que a vida te prove, e as palavras te indiquem que vale a pena ficar e esperar por ele.

Esse poder ninguém tem, essa autonomia e deliberada exclusivamente para você, quando você quiser, e quando optar por fazer diferente.

Encare a realidade de frente, ele não é uma boa amiga nessas horas quando estamos acompanhadas de dores e sofrimento. Mas ela será primordial para que você saia e enxergue coisas boas em um futuro próximo.

Permita-se.

Texto por Sara Oliver

Escrito por

Linda Cristina

Coaching de Relacionamentos, Autoestima e Valorização Pessoal