Tinha que contar essa coisa minha aqui para vocês, saindo da sequência dos post que me comprometi semana passada. Retomo isso em breve.

Mais que natural eu chegar e contar algo da minha vida, porque passa mais veracidade e autenticidade do que simplesmente eu jogar algo aqui de alguém ou falar algo que não aconteceu comigo.

Tudo que falo aqui, e escrevo vivi de uma forma intensa, por isso abro isso com uma simplicidade peculiar. Eu vivi, eu participei do ato, meus sentimentos estavam lá.

Mas, hoje vim contar que de umas três semanas para cá, estou apaixonada.

Nossa gente é o máximo. Tanto tempo que não sentia o borbulhar de amor como diz a música do Cantor Fagner. Rsrs

É uma coisa sensacional. Pareço uma mocinha de 15 anos, se apaixonando pela primeira vez.

E uma mágica de sentimentos tão bonitos, que faz com que imaginemos que a pessoa é perfeita, você olha o sorriso dele se abrindo, e fica tudo lindo. Você sente dor no estômago de felicidades.

Enfim você diz: ele seria perfeito como homem, ele seria perfeito para ser meu namorado.

Até a parte que ele não sabe que você tem interesse por ele.

E é nisso que quero focar para desenvolver essa temática bem peculiar.

Eu estou apaixonada, e quem não estaria?

Sorriso aberto, largo, ri de uma forma tão gostosa, fala fluente, não tem beleza exterior, e isso nunca será meu objeto de análise. E o papel de homem que ele representa. E garanto a vocês ele tem todos os atributos que eu fiz previamente na minha lista dos caras para me envolver e relacionar.

Mas ele não sabe, eu já até tentei passar isso quase que sutilmente, mas sou uma mulher totalmente ogra, gesticulou, falo alto, minha risada e assombrosa, e acho que assusto os homens.

Mas está bem: estou apaixonada.

Deixando de minhas histórias cômicas, quero referenciar a vocês o seguinte:

Você vai se apaixonar infinitas vezes nesta vida, e se for aos seus 20 anos e poucos, todo dia alguém  te chamará atenção.

Seus hormônios estão circulando livremente, seu coração vai palpitar, vai ficar pulando dentro de você, e fará tudo ficar belo, achará o cara sensacional, uma conversa com ele e suas pernas tremem. Você pensa: ele é perfeito, e o cara que quero para namorar.

Agora veja bem a outra questão a se tratar de forma séria:

O interesse foi seu desde o primeiro momento, a parte do se envolver, esperar, criar expectativas foi somente sua.

A ala feminista vai ficar querendo esmagar-me igual o Hulck, mas essa é só uma opinião minha e como já disse aqui, eu não vou mudar. Até porque eu já fui uma mulher sabe de se interessar por alguém e ir fazer para ver se o cara seria recíproco. Dei mostras óbvios, o cara não via eu aparecia na frente dele, pavorosa, e ligava, sempre estava com aquela ansiedade notável. E o cara pensava: essa está fácil.

E a maioria das vezes eu simplesmente fiquei toda quebrada.

E é neste ponto que quero trabalhar com vocês.

Tudo bem seria ótimo chegar para alguém e dizer: você é sensacional, queria poder ter uma chance com você. Mas pensem: quando a gente chega assim em qualquer homem temos que ter uma coisa sempre a analisar:

Ele pode ser receptivo, até porque isso favorece o ego de alguns;

Esse ego que exponho aqui e que tem homens que ficam lisonjeados e se sentem o tal quando uma mulher faz esse papel;

Você quer fazer, faça. Mas existem várias reações que podem favorecer ou não quando você dá esse entender.

Se você disser isso para um cara sem preconceitos, sem aquela coisa toda do machismo, isso será ótimo, ele vai entender e não vai te achar apressada ou leviana em dizer do seu interesse;

Se você declarar para um homem que tem traumas, foi traído, passou por alguma decepção amorosa ele vai te achar muito vulgar, e vai conotar que você não é uma mulher de valor;

Se você fizer para um cafajeste ele vai se sentir o tal, e dará a entender que está afim, e vai tentar se aproveitar disso;

Se você expor isso para um cara tímido ele vai pensar: essa mulher é muito afoita, estou fora.

Mas sempre dizem que opostos se atraem vai que você dá uma sorte e ele fica afim de você.

Quero dizer  justamente que se você acha certo chegar num cara, e mostrar o devido interesse quando isso ainda não é visto pelo outro, vai lá e faça.

Agora não reclame se o cara for um aproveitador e egocêntrico e irá se sentir o rei da cocada por uma mulher ter ido até ele.

Tudo devemos saber dosar, não importo de ir lá escancarar minha paixonite aguda pelo sujeito, mas qual é a chance dele ignorar isso? Se você faz algo, logicamente no final você terá uma receptividade ou não. Se não sabemos ao certo e nem temos certeza do que isso implicará, porque vamos deixar nos levar pelo ímpeto do momento? O prudente e o sensato é avaliarmos a situação com olhares clínicos. Quer fazer, faça. Mas escolhas feitas se prepare para o retorno isso. Que pode ser favorável ou não a você.

Eu não dei a entender para essa paixonite que estou afim, porque a situação é peculiar e delicada.

Mas tentei sutilmente mostrar o devido: estou na sua cara, vê se presta atenção.

Coisa que até agora ele não fez, e provavelmente não fará.

Mas enfim, todo dia você vai achar alguém que você irá pensar e querer que ele seja seu namorado.

E isso muitas vezes fará você agir por impulso, não raciocinar no quesito, se eu abrir essa opção de mostrar para o moço que estou tendo um processo de paixão e um rebento de ter ele do lado, e quem sabe poder beijá-lo, e quem sabe algo mais firme futuramente. Quais implicações serão abertas com todo esse meu dispor?

Vejo muitas mulheres desesperadas para ter alguém para chamar de seu que atropelam tudo.

Eu tenho motivos óbvios para estar no desespero, já tenho 34 anos, com filhos, uma separação. Mas mesmo assim aprendi que de nada adianta eu apressar as coisas, a achar que pode ser, porque nem sempre o que queremos e o que o Universo está preparando.

Vejo mulheres em situações de extrema tristeza e sofrimento, porque acharam que tentando, insistindo será visível para o outro.

Que dando a entender, que o querer delas bastariam, ele iria aceitar e admirá-la por isso.

Mas com tantas pauladas eu entendi que quanto mais você faz menos você é vista. Existem momentos oportunos. Existem chances concretas e é nessas que você deve fazer algo se tiver oportunidade.

Percebi que quando é para ser, tudo se encaixa tudo se adapta, tudo se afirma.

Uma palavra, um toque, um olhar tudo se é transmitido de forma mútua, com cumplicidade e reciprocidade.

Eu entendi que das vezes que corri atrás, que me deixei dar a entender, que me mostrei disponível eu fiquei na pior.

O interesse no final acabou sendo somente meu, e toda a carga de um fim.

E para dar uma ênfase maior a única vez que não dei a entender, que deixei o cara fazer o papel de caçador, e vir até mim e dizer do seu interesse, eu namorei,  fiquei noiva, casei, formei uma família com 2 filhos. Duraram cinco anos. Mas o que quero passar para vocês é uma realidade que se vocês não se atentarem agora que estão jovens irão olhar para o seu passado e dizer:

Porque não esperei, porque não fui paciente?

Porque me deixei levar pela ansiedade feroz de estar com alguém, de ter uma pessoa do lado que foi simplesmente colocando tudo como eu queria e não como deveria ser.

Esse cara que você está todo tempo insistindo, tentando fazer ele te notar, sendo disponível, talvez esse cara não é o que você mereça. Talvez o destino queira abrir as portas para um novo, um espetacular, que vai ter o prazer de te declarar: estou afim de você, fica comigo.

E se não sabe o que é isso vai aprender, isso é uma forma sensacional, quando o cara chega e demonstra. O entendimento fica muito melhor, você se sente uma princesa. E por que não uma rainha?

E assim que a Linda sempre diz: você é uma rainha e merece ser tratada como tal.

Abro uns parênteses para mulheres que acham que tem que mostrar, e dizer que estão querendo um cara. Mas depois não reclamem que o cara virou um cretino e que só te faz de idiota.

E o mal de querer ser e mostrar toda sua independência.

Não abro mão disso, homem tem que chegar, homem tem que fazer de princípio, abrir as portas. E nos mulheres temos apenas que retribuir, e dizer: você esta na minha eu também estou na sua.

E assim que tudo vai bem.

O que estou percebendo todos os dias e que simplesmente os homens pararam de fazer  ficam lá na sua zona de conforto e pensam: se ela estiver afim ela que venha. Eu não vou.

Porque estão mal acostumados, deixamos eles  no mais perfeito comodismo.

Ou seja, não desempenham mais o seu papel, perderam o faro. E isso não se trata de orgulho, de você não dar a entender, e sim de deixar que tudo se resolva de forma simples e neutra.

O cara não fez, arrumou desculpas, somente você que dá a entender. Preste atenção, tem algo de errado. Ele não está dando mostras que quer algo. Apenas está sendo educado em falar com você.

O que é seu vem, não importa. Vem com tudo. E chega até você.

Deixe que aquele  homem chegue, que ele te procure e te diga: fica comigo, estou totalmente querendo ficar do seu lado.

E assim que os relacionamentos deveriam ser firmados. No ato do cara que é homem fazer o papel dele exclusivamente.

Deixe que ele faça você apenas seja única.

Sara Oliver